Na última sexta-feira (21), o presidente Lula e o ministro da Justiça, Flávio Dino, anunciaram um pacote de medidas sobre segurança pública. Entre elas, a edição de um decreto instituindo o Plano Amazônia: Segurança e Soberania (“Plano AMAS”), que prevê investir R$ 2 bilhões para estruturar uma rede de bases de vigilância e fiscalização, fixas e móveis, capaz de assegurar a presença mais efetiva do estado em regiões hoje dominadas pela economia predatória e pelo narcotráfico.

Manaus estará no epicentro do Plano e sediará a Companhia de Operações Ambientais da Força Nacional de Segurança, além de um centro de cooperação policial para articular a atuação das polícias dos países amazônicos.

Essas medidas também facilitarão a coordenação de ações entre a Polícia Federal e as Forças Armadas, dotadas de poder de polícia na faixa de fronteira, além das polícias estaduais. Espera-se que ajudem a reverter o alto nível de criminalidade da região.

COP-30

A confirmação de Belém como sede da COP-30, a reunião da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre mudanças climáticas globais, em novembro de 2025, desencadeou investimentos na cidade, tanto privados, para ampliar a oferta de hotéis e de serviços associados, quanto públicos, como os anunciados por Lula e pelo governador Helder Barbalho para o Projeto Porto Futuro, de revitalização de uma extensa área no centro da cidade.